segunda-feira, 23 de março de 2015

O grão de trigo...

"Em verdade, em verdade vos digo: se o grão de trigo, lançado à terra, não morrer, fica ele só; mas, se morrer, dá muito fruto. " Jo 12, 24 

É curiosa a imagem do grão de trigo lançado à terra: se ele não morrer, fica só; se ele morrer, dará muito fruto. Na sociedade em que vivemos tanto se propaga um extra-sofrimento que azeda a vida, como se busca uma vida de facilidade na fuga de todo o sofrimento. E neste sentido, o grão de trigo que tem de morrer no silêncio da terra lembra o trabalho e o sofrimento necessários para que haja mais vida e mais frutos. É o esforço e a coragem de levar ao máximo os dons de vida que possuímos que contraria todo o facilitismo que nunca ajuda a crescer. Mas isso não significa inventar ou manter situações de sofrimento que só geram revolta, porque não têm em vista o maior bem de todos, e são impostas de fora. Pois o dom que gera vida é amor, é doação livre e interior, que rompe a casca do individualismo e da autossuficiência. Quando faço o bem, sinto uma paz e uma alegria imensa. E nem quero lembrar o que sinto quando sei que magoei alguém...