sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Como é bom vir para o trabalho...

Devo ser caso raro...ou então até há mais pessoas como eu...Mas estava ansioso por voltar à minha secretária do trabalho...ao meu Excel...aos símbolos químicos...

Há dias em que as minhas filhas gémeas estão ao rubro...pedem tudo e mais alguma coisa...desarrumam tudo o que encontram...mexem em tudo o que não devem...fazem asneiras como se não houvesse amanhã...uma quer ver o Ruca...outra não quer...e zangam-se...e batem-se...tudo isto fora o trabalho rotineiro de ter que lhes dar banho...dar o jantar...ler-lhes histórias...ouvir o que têm para dizer...

Confesso que por vezes, nos últimos tempos quase sempre, o cansaço se apodera de mim...E o cansaço é uma coisa tão pessoal como a alma, os gostos, as virtudes, as preferências futebolísticas ou políticas...

Sentir-me cansado é algo muito subjetivo, como qualquer sentimento o é - ter fome, ter sono, estar alegre ou triste, não são decretáveis por lei nem regulamentáveis em qualquer Diretiva da União Europeia. Umas pessoas aguentam mais outras menos...

Há um momento em que o corpo (ou a mente, ou ambos) pedem tréguas e, das duas uma, ou lhes damos razão e descansamos - e o cansaço passa -, ou persistimos a não ouvir a "voz do dono" (e a voz da razão) e continuamos sem descanso, até ficarmos KO.
É certo que no trabalho não descanso mas pelo menos consigo estar sentado e a pensar noutras coisas...

E amanhã já é fim de semana...snif, snif...