quarta-feira, 10 de setembro de 2014

O início de uma nova era...

As minhas filhas foram para o Jardim de Infância esta semana...era algo que ambicionava há muito tempo mas por variadíssimas razões só agora se concretizou...acredito-espero-desejo-ambiciono que seja o início de uma nova era em minha casa...espero que seja o fim definitivo das chuchas, das fraldas, das birras para comer, das gritarias por um brinquedo, dos empurrões e puxões de cabelos...

Por outro lado, às vezes dou por mim a pensar como o tempo passa tão rápido e na enorme responsabilidade de preparar crianças para o futuro. Como será o mundo quando os meus filhos tiverem a idade que tenho hoje? Provavelmente, os jogos de computador terão evoluído para uma nova forma de arte, substituindo o cinema, as artes plásticas e a literatura. Os homens serão jovens até à morte; a revolução genética oferecerá a cada ano novos prodígios, como animais anões para divertir as crianças; ou a capacidade de reconstruir órgãos humanos por um processo semelhante àquele que permite à lagartixa recuperar a cauda. 

Bem sei que os meus pais não podiam imaginar as transformações que ocorreram nos últimos trinta anos. E, no entanto, aqui estou, lidando com computadores, telemóveis, tablets, bimbys, carros todos tecnológicos como se eles sempre tivessem existido - e perdendo a cabeça quando por acaso algum equipamento avaria...
Contudo acho que o desafio que se coloca hoje em dia a quem prepara crianças para o futuro é infinitamente superior, desde logo porque a revolução genética levanta questões de natureza ética e moral inteiramente novas e muitíssimo mais perturbadoras do que as que estão ligadas ao progresso tecnológico.

Gosto de tecnologia e de ir acompanhando a sua evolução mas às vezes dou por mim a imaginar com perplexidade como será o futuro nalgumas áreas da sociedade...

Que a escola permita ajudar-me a preparar os Homens do futuro...