sexta-feira, 8 de maio de 2015

O banco do jardim

Lembro-me perfeitamente que no alto da minha adolescência, dono e senhor do meu nariz, com o mundo a meus pés, namorava, passava horas, ria, brincava, com a namorada de então, num banco de jardim... Hoje voltei a passar nesse mesmo banco e estava vazio... olhando para os adolescentes atuais será que ainda namoram nos bancos de jardim? Hummm... Não me parece...